quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Fraude na Merenda: CPI responsabiliza ex-prefeita

Superfaturamento, formação de cartel com a conivência do gestor, pagamento antecipado de faturas sem a entrega dos produtos às escolas públicas da rede municipal de São Cristovão e indiciamento civil e criminal da ex-prefeita do município, Rivanda Batalha Farias, do ex-pregoeiro oficial e do secretário municipal da educação do município. Esta foi a conclusão da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instalada na Câmara Municipal de Vereadores de São Cristovão no ano passado para investigar as fraudes ocorridas na distribuição da merenda escolar naquele município, episódio denunciado pela imprensa que ganhou destaque, inclusive, no cenário nacional. Meio às denúncias, a então prefeita Rivanda Farias Batalha renunciou ao cargo no dia primeiro de junho do ano passado e foi substituída pelo então vice, Jorge Eduardo Santos, o aliado. A CPI foi criada no dia 12 de junho do ano passado, mas o relatório acabou arquivado na última sessão legislativa realizada no ano passado, por decisão da maioria dos vereadores, integrantes do bloco que dão sustentação ao Governo Municipal. No entanto, os vereadores de oposição decidiram dar prosseguimento e protocolaram representação junto ao Ministério Público Federal (MPF), solicitando investigação e reponsabilização criminal daqueles gestores e envolvidos no suposto esquema fraudulento criado para desviar recursos públicos naquele município.

A representação foi protocolada na sede do MPF na segunda-feira, 11, pelos vereadores Claudio Chagas (PC do B), Géverton da Saúde (PSD), Paulo Júnior (PSD) e Vanderlan Correia (PMDB), que lideram a oposição no município. O mesmo documento foi protocolado no Ministério Público Estadual da Comarca de São Cristóvão e também no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Os vereadores da oposição explicam que as representações são necessárias para garantir os interesses da coletividade e resguardar seus direitos. “As três ações fazem parte da prerrogativa parlamentar de fiscalizar atos e ações do Poder Executivo”, explica o vereador Paulo Júnior. “Foram constatadas diversas irregularidades no relatório apresentado pela comissão. Após a decisão dos parlamentares do bloco de apoio à administração municipal em arquivar o relatório, resolvemos protocolar a representação, pois as fraudes na aquisição da merenda escolar não poderão ter esse desfecho”, afirmou o parlamentar.

O vereador Vanderlan Correia encontrou irregularidades na condução dos trabalhos legislativos para encaminhar pelo arquivamento do relatório da CPI da Merenda Escolar. Segundo o parlamentar, a leitura e apreciação do relatório na Câmara Municipal foram feitos em desobediência aos dispositivos do regimento interno do Poder Legislativo Municipal. Conforme o vereador peemedebista, os demais parlamentares não tiveram conhecimento antecipadamente da pauta da sessão, assim como o relatório da CPI não foi distribuído aos vereadores. “A sessão é passível de nulidade”, advertiu Correia.

A CPI foi formada por um vereador de oposição e dois que integram o bloco de sustentação ao prefeito: Paulo Júnior (PSD), líder da oposição, e os situacionistas Morgan Prado (PSDB) e Michael Almeida (PTdoB).
 
LEIA + EM INFONET

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI O SEU RECADO DEMOCRÁTICO!!!

Atenção: O espacodemocratico3.blogspot.com.br não se responsabiliza por opiniões aqui expressas; pela autenticidade dos comentários e menos ainda por ilações que internautas façam em relação a outros comentários ou comentaristas. As opiniões aqui expressas não refletem, obrigatoriamente, a opinião do blog espacodemocratico3.blogspot.com.br. Este é um espaço democrático e aberto a todos que queiram manifestar suas opiniões. Comentários ofensivos ou de baixo calão serão sumariamente deletados.

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES