quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Síndrome de Münchausen

A síndrome de Münchausen, também chamada de transtorno factício, trata-se de uma desordem psiquiátrica, na qual os indivíduos acometidos simulam estar enfermos ou com algum trauma psicológico para conquistarem atenção e simpatia dos que os cercam.

Este distúrbio foi descrito pela primeira vez pelo médico inglês Richard Asher, no ano de 1951. Asher nomeou a patologia como síndrome de Munchausen, pois entre os anos de 1720 a 1797 viveu o Barão de Munchausen (Karl Friedrich Hieronymus Freiherr von Munchausen), a quem conferia-se uma série de contos fantasiosos. Inicialmente, este termo era utilizado somente para desordens fictícias; todavia, atualmente é considerada como um amplo grupo de patologias fictícias, sendo o termo síndrome de Munchausen utilizado para a forma mais severa na qual o fingimento da doença torna-se a atividade central da vida do indivíduo.

A síndrome em questão não é igual a hipocondria, na qual o indivíduo acredita realmente estar doente. Na síndrome de Munchausen os indivíduos sabem que não sofrem com doença alguma, mas querem estar doentes.

O diagnóstico da Síndrome de Münchhausen é bastante complexo e exige atenção a detalhes para além dos critérios diagnósticos. É imprescindível que se conheça o histórico médico do paciente, onde podem ser encontrados dados como o número e os lugares de internação nos últimos anos, além dos motivos de saída do hospital, uma vez que grande parte dos pacientes nessa condição abandona o recinto contra orientação médica. Prestar atenção em alguns sinais pode ser bastante significativo, entre eles:

- Incompatibilidade das histórias contadas;
- Grande conhecimento da terminologia médica, sem se preocupar com as consequências das doenças a que se atribui (belle indiférence);
- Comportamentos autodestrutivos;
- Presença dos sintomas sem a doença de base;
- Dificuldade de responder aos tratamentos médicos adequados para o quadro físico;
- Resposta aos tratamentos de placebo;
- Exacerbação dos sintomas quando o paciente sabe que está sendo observado.

É importante ressaltar a semelhança das características com alguns sintomas de adoecimento psicótico, como a esquizofrenia. Todavia, é marcante na Síndrome de Münchhausen a ausência de sintomas psicóticos, o que facilita o diagnóstico, sem descartar a possibilidade de associação da condição de transtorno de personalidade, como Borderline.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE AQUI O SEU RECADO DEMOCRÁTICO!!!

Atenção: O espacodemocratico3.blogspot.com.br não se responsabiliza por opiniões aqui expressas; pela autenticidade dos comentários e menos ainda por ilações que internautas façam em relação a outros comentários ou comentaristas. As opiniões aqui expressas não refletem, obrigatoriamente, a opinião do blog espacodemocratico3.blogspot.com.br. Este é um espaço democrático e aberto a todos que queiram manifestar suas opiniões. Comentários ofensivos ou de baixo calão serão sumariamente deletados.

RECEBA NOSSAS ATUALIZAÇÕES